fbpx
DicasMountain BikePerformance

Aerodinâmica no Mountain Bike. Você deve começar a pensar nisso!

Qualquer ciclista que deseje ficar mais rápido, sabe que focar na aerodinâmica é a palavra da vez em termos de ganhos de performance, e ainda sera assim por muito tempo.

Mas o que discutiremos hoje, a pedidos dos leitores do Blog da Session é: A aerodinâmica conta no Mountain Bike? Se sim, como podemos aproveitá-la e ficar mais rápidos?

Aerodinâmica no Mountain Bike

Porque a aerodinâmica é importante para os ciclistas?

Mas afinal, porque o ciclista, seja do road bike, triathlon, gravel ou mountain bike deve se importar com a aerodinâmica? A resposta é muito simples: Cerca de 80% da força que fazemos para andar a 40km/h é gasta rompendo a resistência do ar, e somente 20%, aproximadamente é, gasta para vencermos o atrito, por exemplo, entre o pneu e o solo ou sobre as engrenagens como corrente, coroa e cassete.

Ou seja, é na aerodinâmica que podemos, e temos, mais margem para ganhos expressivos. E o melhor de tudo, é possível dar um up na sua performance, apenas se colocando de forma mais aero sobre a bike.

Aerodinâmica no Mountain Bike

Nunca foi tão verdadeira a afirmação que o upgrade em rodas é o melhor investimento se você deseja ficar mais rápido. O pessoal do ciclismo e do triathlon já sabe disso a muito tempo, porém, com a modernização das rodas de mountain bike alguns ganhos também começaram a ser considerados, e nos falaremos disso adiante.

Além da posição da pilotagem, das rodas e de componentes como mesa negativa, existem outras formas de melhorar a sua eficiência aerodinâmica. Por exemplo, as roupas e capacete, que como nas demais modalidades também trazem ganhos de performance pro ciclista.

Aerodinâmica no Mountain Bike. Porque devo investir tempo e recursos nisso?

É verdade que a maioria dos testes que mostram os incrementos de velocidade geralmente são realizados a 40km/h, alguns mais recentes acima dos 50km/h. Além disso, são feitos na maioria das vezes em circuitos fechados ou nos túneis de vento. Esse cuidado é importante para que fatores externos como vento, tipo de piso ou clima interfiram nos resultados.

Aerodinâmica no Mountain Bike

Talvez por isso, muitos ciclistas acreditam que a aerodinâmica não se aplica eficientemente ao mountain bike, e que pela característica do terreno e vocação offroad natural da modalidade, a aerodinâmica tem um papel secundário ou insignificante.

E o erro pode estar exatamente ai! Mas antes, já vamos falar sobre o XCO, onde talvez em pequenos trechos planos das pistas a aerodinâmica não seja relevante a ponto de definir uma prova ou ainda influenciar tão fortemente. A dinâmica do Cross Country Olímpico (XCO), desde a sua pista até a característica explosiva dos atletas colocam a aerodinâmica em segundo plano, muito provavelmente.

Mas na modalidade de XCM ou XCP, que são as maratonas, o cenário pode mudar totalmente. Os grandes trechos de estradão, as vezes até mesmo de asfalto e as decidas e subidas no falso plano estão ali. Um mountain biker bem ajustado pode se beneficiar com a potencia poupada por conta de uma postura mais aerodinâmica. Essa energia economizada pode fazer diferença para se conectar a um pelotão, ou mesmo para sustentar uma fuga.

Aerodinâmica no Mountain Bike

Outro ponto que gera duvidas e que levou muitos mountain bikers a pensarem que a postura aerodinâmica não representa vantagem no mountain bike, foi a crença que somente pedalando em pelotões o benefício do vácuo seria relevante. E isso realmente é uma bela confusão. Para entender, vamos ver o que é pedalar no vácuo.

Pedalar no vácuo, significa aproveitar a zona de baixa pressão criada pelo vácuo do ciclista que vai a sua frente. Quanto mais ciclistas a sua frente, mais influente é esta zona de baixa pressão, e por consequência, menor o seu esforço para romper a resistência do ar.

Se você não acha que isso é significativo, devemos supor que nunca andou num pelotão bem formado. Em alguns casos, é incrível a facilidade de se pedalar em altas velocidades. Em média, no road bike, você economiza até 30% de energia andando encaixado atrás de outro ciclista, e até 35% se estiver colado em dois ou três ciclistas.

Para ficar ainda mais claro, vamos converter isso em números.
Com a força que você faria para andar a 30km/h sozinho numa road bike, na roda de dois ou mais ciclistas você estaria andando entre 38km/h 41km/h. E isso é muita coisa! Num grupo homogêneo, talvez a velocidade não cresça tanto, mas certamente você estará pelo menos gastando muito menos energia.

E muitas vezes, uma corrida de bicicletas tem muito mais a ver com o quanto você economiza e usa sua energia, do que sobre o quanto você é capaz de despejá-la a esmo.

Pois bem, pedalar no vácuo é isso. Já pedalar com uma postura aerodinâmica independe se você está ou não no pelotão. Traz benefícios, estando você ou não no vácuo, e se no mountain bike existem poucos, ou pelo menos, pelotões menores que no ciclismo, isso é mais um motivo para otimizar sua psotura.

Ou seja, sem a ajuda do pelotão, você pedalará sozinho por mais tempo, e por consequência, enfrentará também sozinho a resistência do ar. Tendo que fazer mais força e gastando mais energia para ir mais rápido. E é exatamente por isso que você deveria começar a investir em melhorar a sua postura aerodinâmica sobre a bike.

Como melhorar a aerodinâmica no mountain bike?

Você pode melhorar a sua aerodinâmica investindo em treinamento e fazendo alguns upgrades muito bem pensados. Sempre leve em conta a questão custo x benefício, isso ira ajudá-lo a escolher os melhores componentes e a não se frustrar.

Jerseys – Camisas

Em primeiro lugar, diria para investir em roupas mais justas, especialmente a jersey (camisa). As camisas folgadas demais e cheias de dobras são verdadeiros para quedas que freiam você, e pior, desnecessariamente.

Existem marcas como a Volta Cycling, por exemplo, que são especialistas em confeccionar roupas para ciclismo mais eficientes. Desde tecidos, ao tipo de corte da peça. Considere essas questões ao escolher sua próxima jersey ou bretelle.

Brasil Jersey - Aerodinâmica no Mountain Bike
Jersey Volta Cycling

Ainda sobre as Jerseys, tente evitar os bolsos cheios demais, eles também influenciam na formação de vórtices que interferem na fluidez das correntes de ar. Pode não ser muito, mas cada pedacinho de ganho faz diferença!

Aerodinâmica no Mountain Bike
Exemplos de vórtices formadas atrás dos ciclistas em diferentes posições. Bolsos muito cheios parecem impactar na fluidez do ar também.

Isso lhe parece bobagem? Num teste feito por Jon Woodhouse, numa subida curta de apenas 200 metros, obteve os seguintes resultados:
– Roupa justa (jersey e bretelle) foi mais rápida, com tempo médio de 19,52s.
– Roupa justa com os bolsos cheios, teve o tempo de 19,85s, um aumento de 0,2s ou 1% em apenas 200 metros.

Existem outras formas de transportar câmaras de ar, ferramentas e bombas de ar, por exemplo. Wrap S-TR3S que além de aliviar o peso das contas, ainda pode acomodar de forma mais eficiente suas tralhas.

Aerodinâmica no Mountain Bike
Wrap S-Tres, para transporte de ferramentas e câmara de ar reservas, além de cilindros de Co²

Capacete

Se notar bem, os capacetes dos grandes pilotos de mountain bike estão cada vez mais parecidos com os capacetes de ciclistas de estrada. E a razão é uma só: Aerodinâmica!

Entretanto, leve em consideração a ventilação e a proteção, escolha um modelo mais aerodinâmico, mas sem abrir mão da sua segurança.

Rodas

É verdade que as rodas de perfil alto dão um salto considerável na performance do ciclista, temos um artigo aqui falando sobre isso. No mountain bike as rodas não tem o perfil tão alto, mas em compensação a largura das rodas aumentou.

Rodas mais largas deixam a bike com mais grip nas curvas e mais tração, especialmente para subidas técnicas. Além disso, uma rolagem melhor favorece a ecomimia de energia.

Aerodinâmica no Mountain Bike

Alguns estudos em road bikes, tem mostrado que as rodas mais largas, quando casadas com pneus adequados, também diminuem o vórtice criado pela corrente de ar, tornando-as assim mais fluidas e aerodinâmicas que as mais estreitas.

Aerodinâmica no Mountain Bike

Roda de Alumínio A25 Session.
25mm largura interna

Aerodinâmica no Mountain Bike

Roda de Carbono C26 Session.
26mm largura interna

Você pode ver mais sobre as rodas para mountain bike nestes artigos:
Como escolher a melhor roda para sua Mountain bike
Roda de Carbono C26. Boas razões para upar sua bike com ela
A25, a roda leve, roalmentada e pronta para tubeless da Session

Por mais que as rodas de MTB não tenham “ainda” o perfil tão alto como a de uma road bike, é possível enxergar ganhos nesse aspecto em rodas modernas como a C26 e a A25.

Por exemplo, essas duas rodas além da largura interna maior, a folha de aro é construído no formato toroidal, ou seja, mais arredondadas. Esse formato confere mais aerodinâmica, especialmente em ventos laterais.

Aerodinâmica no Mountain Bike

Mesa negativa

Diretamente, a mesa negativa não é mais aerodinâmica que uma mesa convencional, de fato! Contudo, se você estiver bem encaixado na bike e com o bikefit em dia, a posição mais projetada pode lhe conferir um certo ganho.

Repetindo, com o seu fit em dia você conseguira um bom ganho e poderá manter uma posição mais agressiva por muito mais tempo e com menor esforço, especialmente dos ombros e triceps e outros musculos que não serão sobrecarregados para sustentar o peso do seu corpo.

Lembre-se de ler o nosso artigo – Aerodinâmica. Como aproveitar esse poder no ciclismo, para entender que: Quanto menor a sua área frontal, mais fácil é romper a resistência do ar.

Tanto acreditamos nisso, que em breve vamos lançar um novo modelo de clip – extension bar. Sabemos, não tem nada a ver com mountain bike, mas isso mostra como estamos atentos e buscando sempre os melhores equipamentos e acessórios para você. Nosso lema é We make you faster!

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar